Locomotiva 100% elétrica

Uma nova tecnologia que promete uma operação mais sustentável e alinha com o Acordo de Paris

Visando conseguir alcançar a meta de redução de emissões de CO2 diversas empresas tem modificado seus processos de maneira que os torne mais sustentáveis. Pensando nisso e no alinhamento com o proposto no Acordo de Paris, a Vale incorporou em suas operações a primeira locomotiva 100% elétrica do Brasil. Esse projeto faz parte do programa PowerShift que visa substituir todo a matriz energética da empresa por fontes limpas, estando alinhado com a meta da empresa de reduzir 33% das emissões de carbono até 2030 e de se tornar neutra nesse composto até 2050. Hoje em dia cerca de 10% das emissões de carbono da Vale são de responsabilidade do transporte ferroviário.

A locomotiva foi desenvolvida em parceria com a empresa americana Progress Rail e tem como principal diferencial ser movida a uma bateria com autonomia de 24 horas, em operações de manobra e com carga total! Isso é um ponto bastante relevante quando se trata de sistemas elétricos, já que a principal preocupação é sempre quanto tempo aquela bateria vai durar, sendo esse um ponto bastante estudado quando se pensa nos carros elétricos. Além disso, em sua primeira fase de testes, 8 meses, demonstrou resultados bastante satisfatórios e chegou a percorrer cerca de 3,7 mil km no pátio da unidade de Tubarão no Espírito Santo.

“Tivemos resultados muito promissores neste primeiro período de testes. As equipes de operação e manutenção se adaptaram bem à nova tecnologia. Durante esse período a locomotiva ficou dedicada a movimentação de lotes com 86 vagões”, afirma Gustavo Bastos, Gerente-Executivo do Centro de Excelência, Tecnologia e Inovação de Ferrosos da Vale.

Atualmente, a locomotiva vem sendo usada como potência extra nos trens de minério operados pela companhia na estrada de ferro Vitória a Minas e em breve passará para a segunda fase de testes. Nessa nova fase os especialistas em tecnologia pretendem entender como a bateria irá se comportar além dos dados de autonomia (por exemplo: conhecer a capacidade de regeneração e as condições da bateria), além de entender como é a intercambialidade do novo equipamento com as locomotivas convencionais.

Nesse momento, a Vale está desenvolvendo uma nova locomotiva em parceria com a chinesa CRRC com o objetivo de colocar em prática a estratégia de desenvolvimento de múltiplos fornecedores (busca comparação entre as diferentes tecnologias). Essa nova locomotiva 100% elétrica deve chegar às operações da Estrada de Ferro Carajás ainda esse ano e iniciar operação nos pátios de São Luís.

Curtiu?
Curte nas nossas redes também!

Intagram

LinkedIn