Outubro Rosa

Outubro é marcado pelo famoso lacinho rosa que representa a campanha mundial de prevenção ao câncer de mama.

Entre 01 e 31 de Outubro convivemos com o movimento Outubro Rosa que busca dar mais visibilidade à prevenção contra o câncer de mama. Esse movimento internacional foi criado em Nova York no início da década de 90 quando à Fundação Susan G. Komen for the Cure distribuiu, em sua Corrida pela Cura, laços rosas para suas participantes. Desde então o mundo todo passou a voltar seus olhos para essa doença que a prevenção é a melhor saída.

No Brasil a primeira iniciativa marcante ocorreu em São Paulo, no dia 2 de outubro de 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera foi iluminado com a cor rosa e em 2008 as cores tomaram o Cristo Redentor. Após o ano de 2010, houve maior envolvimento do governo e da sociedade brasileira com o Outubro Rosa. Dessa forma, diversas entidades começaram a divulgar a campanha e passaram a iluminar, com a cor do movimento, muitos prédios e monumentos de destaque em diferentes cidades do Brasil e do mundo.

Resolvemos trazer algumas perguntas frequentes sobre o tema e que foram respondidas pelo Hospital Presidente - SP.

1. O que causa o câncer de mama?

O câncer de mama é provocado pela reprodução anormal de células, que formam tumores, invadindo tecidos e impedindo o funcionamento dos órgãos. É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres, depois do câncer de pele não melanoma. O Ministério da Saúde estima que 28,1% dos novos casos de câncer a cada ano em mulheres brasileiras são de câncer de mama.

2. O autoexame ainda é importante?

Há quem diga que a Medicina e os recursos de diagnósticos evoluíram muito e o autoexame deixou de ser eficiente. Isso não é verdade. Os primeiros sintomas podem surgir na pele sem provocar qualquer alteração sistêmica, como náuseas ou fraqueza. Por isso, a mulher deve observar as mamas e apalpá-las uma vez por mês, entre o 3º e o 5º dia depois da menstruação, que é quando as mamas estão mais flácidas e indolores. Mulheres na menopausa devem fazer isso em uma data fixa.

A apalpação deve ser feita em pé, diante do espelho, para melhor observação dos seios, e depois deitada, sempre em movimentos circulares, fazendo uma leve pressão com os dedos.

Se você perceber qualquer carocinho, vermelhidão, mudança de formato do seio ou na textura da pele, não deixe para depois. Agende uma consulta com o ginecologista para eliminar qualquer suspeita.

3. Tem como prevenir o câncer de mama?

Ninguém sabe ainda, exatamente, por que as células começam a se reproduzir de modo descontrolado, por isso, é difícil apontar medidas efetivas de prevenção.

Os especialistas sabem que exercícios físicos e uma alimentação mais saudável protegem o organismo. É recomendável também reduzir o consumo de álcool e de cigarro ao máximo

4. Quem tem silicone pode fazer mamografia?

 Todas as mulheres devem fazer mamografia. O que acontece é que o silicone, às vezes, pode dificultar a análise e deixar algumas dúvidas sobre o resultado do exame, mas, não se preocupe. O seu médico saberá avaliar a mamografia e usar outros exames para esclarecer o diagnóstico, se for preciso.

5. Sutiã provoca câncer de mama? E desodorante?

Alguns modelos de sutiãs muito apertados podem incomodar e até machucar os seios, mas não é verdade que usar sutiã provoca câncer.

Também não há nenhuma evidência que o uso de desodorantes eleva o risco de câncer de mama, mesmo os antiperspirantes.

6. Posso tomar anticoncepcional sem medo?

Depende. Se você não está incluída em nenhum grupo de risco, não precisa se preocupar, mas, se há casos de câncer na família é melhor conversar com o seu médico. Ele é a pessoa certa para avaliar os riscos e benefícios do anticoncepcional para você.

7. Ser mãe depois dos 30 ou não ser mãe aumenta as chances de ter câncer de mama?

Alguns estudos apontam que sim. A amamentação e os próprios hormônios da gravidez seriam uma proteção, mas esses estudos não são definitivos. O melhor mesmo é você se tornar mãe quando se sentir preparada para a maternidade.

8. A reposição hormonal provoca câncer de mama?

Essa pergunta é polêmica, porque também não tem uma resposta definitiva. Alguns tipos de tumores têm seu crescimento estimulado por hormônios, mas, na Medicina, é preciso avaliar os benefícios e os riscos de cada decisão. Confie na orientação do seu médico. Se os sintomas da menopausa estão intoleráveis, vale uma conversa franca.

A reposição hormonal pode ser excelente para algumas mulheres e não trazer benefícios para outras. O seu médico é o melhor profissional para ajudar você a tomar essa decisão.

Aqui vão alguns links que valem a pena serem lidos:

Como fazer o autoexame

Prevenção e Sintomas do câncer de mama

Instagram

LinkedIn