Novembro Azul

Novembro é conhecido mundialmente como o mês dedicado ao combate ao câncer de próstata, doença responsável pela morte 1 homem a cada 38 minutos, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). O câncer de próstata é o mais comum entre os homens e causa a morte de 28,6% da população masculina que desenvolve o tipo maligno da doença. A única maneira de não entrar nessa estatística é o exame preventivo que permite a descoberta da doença em estágios iniciais. Dessa forma, recomenda-se que, mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

“O câncer de próstata é classificado como um adenocarcinoma, ou câncer glandular, que inicia quando as células glandulares secretoras de líquido seminal da próstata sofrem mutações e se transformam em células cancerosas.” Dr. William Nahas, Vice-presidente do Conselho Diretor do Icesp e Professor Titular de Urologia do Departamento de Cirurgia da FMUSP

A primeira pergunta que precisa ser respondida antes de iniciar a discussão desse tema é o que é a próstata. A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino que se assemelha a uma castanha (aproximadamente 20g). Ela fica localizada abaixo da bexiga e tem como função, junto com as vesículas seminais, produzir o esperma. Sendo assim, os principais sintomas da doença são: dor óssea, dores ao urinar, vontade de urinar com frequência e presença de sangue na urina/sêmen.

Com o objetivo de esclarecer possíveis mitos e verdades sobre o câncer de próstata, sua prevenção e seu tratamento, recorremos à um documento informativo disponibilizado pela prefeitura de São Paulo.

O câncer de próstata não apresenta sintomas na fase inicial?
Verdade. A doença não causa sintomas no começo de seu desenvolvimento, por isso, a partir dos 45 anos, é importante consultar um urologista regularmente. Descobrir a doença em um estágio inicial possibilita tratamentos menos agressivos, com alto índice de cura e mais qualidade de vida aos pacientes.

Dr. Mauricio Cordeiro, médico urologista

O câncer de próstata afeta apenas homens idosos?
Mito. O câncer de próstata também pode afetar homens jovens, apesar de ser mais comuns entre os idosos. Por isso, é fundamental manter o acompanhamento médico.
Dr. José Maurício, médico oncologista

Segurar o xixi é um fator de risco?
Mito. Segurar o xixi não é um fator de risco para o câncer de próstata. No entanto, prender a urina pode aumentar o risco de infecções urinárias e doenças vesicais.
Dr. Mauricio Cordeiro, médico urologista

Hábitos saudáveis podem auxiliar na prevenção e no tratamento de câncer?
Verdade. Manter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos regularmente, evitar o consumo de cigarro e bebidas alcoólicas em excesso diminuem o risco de câncer.
Dr. José Maurício, médico oncologista

A vasectomia aumenta a chance de se desenvolver câncer de próstata?
Mito. Não há relação entre a vasectomia e o câncer de próstata. Homens que realizaram o procedimento devem fazer os exames preventivos normalmente.
Dr. Mauricio Cordeiro, médico urologista

O exame de PSA diagnostica câncer de próstata?
Mito. A confirmação do diagnóstico é feita através da biópsia, após o exame de toque retal. A biópsia consiste na retirada de pequenos fragmentos por agulha fina introduzida pelo reto guiada por ultrassom e feita com sedação, quando achados indício de câncer pelo exame clínico (toque retal) combinados com o resultado da dosagem do PSA no sangue.
Dr. Mauricio Cordeiro, médico urologista

Quem faz exame de PSA não precisa fazer o exame de toque retal?
Mito. O PSA deve ser realizado em conjunto com o toque retal. Juntos, estes exames contribuem para o diagnóstico, mas um não substitui o outro.
Dr. Mauricio Cordeiro, médico urologista

O toque retal é importante para diagnosticar a doença?
Verdade. O exame de toque retal é muito importante, ele é realizado pelo médico para identificar áreas endurecidas na próstata e outras alterações que podem ser suspeitas de câncer.
Dr. Mauricio Cordeiro, médico urologista

Então a palavra de ordem é: PREVENÇÃO!

Confira nossas redes sociais.

Instagram

LinkedIn