Inteligência Artificial

Robôs quase humanos que irão dominar a Terra? Casas inteligentes? Carros Automáticos? O que será realmente a Inteligência Artificial?

O termo inteligência artificial, ou simplesmente AI (Artificial Intelligence), é um termo que mexe bastante com o imaginário das pessoas, já que todo mundo já viu algum robô humanoide que quer dominar os humanos em filmes de Hollywood. Contudo, a realidade dessa tecnologia passa bem distante do que vemos em filmes e, na verdade, é de grande auxílio para a humanidade.

Os primeiros avanços da AI surgiram na década de 50, com o surgimento de soluções que buscavam resolver problemas e métodos simbólicos. Com o passar dos anos essa tecnologia foi ganhando espaço entre empresas e entidades governamentais (como foi o caso do Departamento de Defesa dos EUA, em 1960) e hoje vive seu boom. De acordo com PWC, o mercado de AI até o ano passado atingiria a casa de 70 bilhões de dólares americanos e é considerada pelos economistas a quarta revolução industrial.

“Estamos buscando na IA os recursos necessários para ajudar a resolver os problemas mais urgentes da nossa sociedade. Nesse sentido, a nossa abordagem é dividida em três pilares: liderar inovações que ampliam a capacidade humana; construir poderosas plataformas que tornam a inovação mais rápida e acessível; e desenvolver uma abordagem confiável que coloque o cliente no controle e proteja seus dados” Alessandro Jannuzzi, diretor de engenharia e inovação na Microsoft Brasil.

O que a Inteligência Artificial?

É um avanço tecnológico que permite que sistemas simulem uma inteligência similar a humana. Dessa forma, ela não realiza apenas atividades mecânicas, repetitivas e numerosas, mas também as que demandam análise e tomada de decisão.

Envolve um agrupamento de várias tecnologias que já comentamos aqui em artigos anteriores, como Redes Neurais, PNL, Machine Learning, Deep Learning e algoritmos. Todas essas com uma característica em comum: simular a capacidades humanas ligadas à inteligência, por exemplo, a tomada de decisões e raciocínio.

O principal diferencial da AI é que ela consegue realizar atividades de um modo inteligente, já que consegue aprender por si mesma. Esse aprendizado é proporcionado pelo fato de que é usado um grande volume de dados, o que permite que a tecnologia refine e amplie seus conhecimentos.

Podemos dizer que a Inteligência Artificial segue a seguinte fórmula:

Big Data + Computação em Nuvem = Bons Modelos de Dados

Fonte: Revista Istoé

Tecnologias envolvidas

  • Machine Learning (Aprendizado de Máquina)

Trata-se de um método de análise de dados que busca automatizar a construção de modelos analíticos, baseado em reconhecimento de padrões dentro do conjunto de dados.

  • Deep Learning (Aprendizagem Profunda)

É um tipo de Machine Learning que busca os computadores para realizar tarefas por meio de um processo de aprendizagem com o uso de muitas camadas de processamento.

  • Processamento de Linguagem Natural (PLN)

Essa tecnologia via o estudo e a tentativa de reproduzir processos de desenvolvimento ligados ao funcionamento da linguagem humana. Com o uso da PLN as máquinas podem compreender e compor melhor os textos com o uso de dados.

Benefícios

  • Melhora na tomada de decisão: com a simplificação do processo de análise e a centralização das informações, a AI permite que decisões sejam tomadas de maneira mais assertiva e em tempo e ação.

  • Aumento da automação: permite a automação de atividades analíticas, cognitivas e lógicas, favorecendo o tratamento de informações. Isso favorece a substituição de humanos em atividades físicas de risco em fábricas e melhora a produção.

  • Redução de custos, riscos e erros: com sua capacidade de analisar uma larga quantidade de dados, a AI consegue identificar gargalos, falhas, pontos fracos e erros. Dessa maneira, permite que o processo seja otimizado e a eficiência operacional aumente.

  • Atendimento otimizado ao público: segundo pesquisa PWC: 60% dos consumidores ouvidos concordam que a IA pode diminuir o tempo necessário para conseguir respostas e, simultaneamente, ser bastante adaptada às suas preferências; 38% dos consumidores concordam que a Inteligência Artificial pode fornecer uma “experiência pessoal personalizada superior”.

Tem sugestões de temas? Manda para a gente nas nossas redes sociais!

Instagram

LinkedIn