A Importância Mineral do Afeganistão

O Afeganistão foi colocado no centro de diversos jornais do mundo por suas questões políticas algumas semanas atrás. Virou destaque também a riqueza mineral que o país possui em seu subsolo.

Há algumas semanas o mundo parou para assistir à tomada do governo afegão pelo grupo extremista Talibã após as retiradas das tropas americanas que se mantiveram no país nos últimos 20 anos. Além da questão política, essa mudança jogou uma luz em diversos setores do país como a pobreza da população, direitos humanos e entre eles o subsolo do Afeganistão.

Atualmente, estimasse que o país possua cerca de 1400 tipos de minerais no país o que o coloca como uma região de muito interesse tanto para o Ocidente quanto para grandes potências como China, Rússia, Paquistão, Índia e Irã. Segundo relatório publicado pelo governo afegão em 2017, a riqueza mineral do país estava estimada entre US$ 3 trilhões, espalhados em suas províncias, o que o coloca numa posição bastante estratégica no setor mineral. Além disso, não é só a quantidade de bens minerais, mas também quais são esses materiais.

Fonte: El país

O subsolo do Afeganistão conta com minerais de bastante interesse como cobre, cobalto, ferro e os dois destaques que são o lítio e os elementos de terras raras. O lítio é um mineral essencial, porém relativamente escasso e é usado para a fabricação de baterias de computadores, celulares e carros. Com o aumento da demanda mundial para cerca em cerca de 20% a cada ano, poucos anos atrás o crescimento era de 5%, o lítio se tornou um mineral estratégico. Já os elementos de terras raras são um grupo de elementos químicos usados na fabricação de produtos tecnológicos e armas. 

“O Afeganistão é certamente uma das regiões mais ricas em metais preciosos tradicionais, mas também em metais necessários para a economia emergente do século 21.” Rod Schoonover, cientista e especialista em segurança que fundou o Ecological Futures Group, à rede CNN Business

A principal motivação para a exploração do lítio e dos elementos e terras raras é a busca pela economia verde, já que se não conseguirmos aumentar a quantidade de suprimentos fará o mudo fracassar no enfrentamento da crise climática. Dessa forma, seria interessantíssimo que o Afeganistão conseguisse explorar suas reservar de maneira sustentável. Contudo, apesar de toda essa riqueza o problema de segurança, falta de infraestrutura e secas severas impedem e impediram a extração. Infelizmente, acredita-se que o cenário político atual não favorece o início desse tipo de operação no país. Segundo Khan, membro sênior não residente do Conselho do Atlântico e ex-diretor do Oriente Médio e Ásia Central do FMI, será difícil um investimento no país agora, porque as grades globais tem mantido padrões de governança, sociais e ambientais muito elevados e não vão querer correr esse risco. 

Estamos também no Instagram e no LinkedIn!

Instagram

LinkedIn