A décima sinfonia de Beethoven e a AI

Inteligência Artificial foi usada para terminar a última obra do gênio Beethoven.

Com certeza podemos afirmar que Ludwig Van Beethoven foi um dos grandes gênios da música clássica e suas nove sinfonias são até hoje aclamadas no mundo inteiro. Sua morte precoce em 1827, aos 56 anos, não permitiu que ele transformasse suas anotações da sua décima sinfonia em música. Contudo, quase 200 anos depois a inteligência artificial permitiu que os amantes desse grande compositor matassem a saudade com uma composição inédita.

A peça comporta por dois movimentos de 20 minutos cada e batizada de BeethovANN 10.1 – ANN se refere a sigla em inglês de Redes Neurais Artificiais – estreou no último sábado em Boon, cidade natal de Beethoven, sendo um grande sucesso. Segundo o The Times a sinfonia ficou tão boa que é impossível saber onde começa a inteligência artificial e onde termina Beethoven.

Para que fosse possível esse feito o pesquisador da Escola Politécnica Federal de Laussane e violoncelista Florian Colombo usou as 250 linhas deixadas por Beethoven e a inteligência artificial. Ele educou as redes neurais com os 16 quartetos de cordas já prontos e seus acordes particulares e com eles pediu que ele compusesse o restante da sinfonia.

"A ideia é poder apertar o botão e ter a partitura completa de toda a orquestra sinfônica, sem outras intervenções além do meu trabalho anterior", explica o Colombo.

Seu primeiro teste foi uma apresentação de um pianista para especialistas em Beethoven (estudantes de música, músicos, jornalistas e críticos) e foi pedido a eles que identificassem os trechos compostos tecnologicamente. O resultado? Ninguém foi capaz de acertar. Depois as partituras foram tocadas por um quarteto de cordas em uma entrevista coletiva e somente pessoas que já conhecia bem os esboços deixados pelo compositor conseguiram determinar onde a AI estava. Então no dia 09 de outubro ela foi apresentada em um concerto e foi considerada pelo público uma grande homenagem ao gênio.

"Tem coisas que são muito boas, outras que estão fora de estilo, mas são agradáveis. Talvez falte a centelha do gênio", disse Florian Colombo.

Segue abaixo um pequeno trecho da Sinfonia sendo executada pela Beethoven Orchestra de Bonn:

Optive está nas redes sociais!

Instagram

LinkedIn